O Grupo Pão de Açúcar (GPA) colocou à venda sua rede de postos de gasolina numa transação que pode levantar R$ 1 bilhão, fontes com conhecimento do assunto disseram ao Brazil Journal.
A transação é mais um passo da estratégia da companhia de focar exclusivamente no varejo alimentar depois da venda da Via Varejo.
Os 71 postos — 69 dos quais são adjacentes às lojas — faturam juntos R$ 2 bilhões e tem uma margem EBITDA acima de 5%. Os imóveis não estão incluídos no pacote.
O Bradesco BBI está liderando o processo de venda, e há conversas em andamento com operadores regionais. Cerca de três quartos dos postos hoje têm a bandeira Ipiranga, e os outros têm a bandeira Shell. Quase 70% das lojas estão no estado de São Paulo.
“Eles estão dispostos a vender qualquer ativo que seja uma distração do novo foco, que é o alimentar,” diz uma fonte próxima à empresa.
Como parte desta estratégia, o GPA também está disposto a vender sua rede de drogarias, que hoje conta com mais de 50 lojas e fatura cerca de R$ 600 milhões, mas parece não haver bancos mandatados ainda.
Os desinvestimentos acontecem no momento em que o GPA se prepara para entrar no Novo Mercado, convertendo suas ações PN em ON, um processo que deve ser concluído na segunda quinzena de fevereiro.

 

Fonte: Newtrade
GPA põe à venda postos de gasolina e drogarias