A expansão da loja-conceito da Amazon é uma realidade e já conta com quatro pontos de venda. Intenção da empresa é de revolucionar o varejo físico, assim como fez com o e-commerce

O que era um teste virou, definitivamente, um plano sério da Amazon. A varejista, ícone do e-commerce mundial, vai expandir sua operação de loja física, sob o conceito da Amazon Go, para 3 mil lojas até 2021, segundo informações da agência de notícias Bloomberg. Hoje, por enquanto, são três lojas espalhadas por Seattle, onde a marca deu preferência por ter sua sede na cidade do extremo norte da costa oeste dos Estados Unidos, e uma em Chicago, recém-inaugurada.

A larga expansão já era especulada com a inauguração de três lojas, em menos de um mês: uma no final de agosto, outra na semana seguinte e a última em Chicago nesta semana. De acordo com a Bloomberg, a adição de 3.000 lojas de conveniência faria da Amazon Go uma das maiores redes dos EUA.

A gigante da internet está considerando ter cerca de 10 locais abertas até o final deste ano, cerca de 50 locais nas principais áreas metropolitanas dos Estados Unidos, em 2019, e até 3.000, em 2021. A abertura de vários locais nas proximidades, como acontece em Seattle, também pode ajudar a Amazon a reduzir custos ao centralizar a produção de alimentos em uma cozinha que atende muitas lojas.

Com a expansão a Amazon testará quais modelos podem dar mais certo. Hoje, as quatro lojas da rede são em parceria com a mercearia Whole Foods, com o objetivo de vender orgânicos e alimentos saudáveis. Mas a empresa quer experimentar o melhor formato: uma loja de conveniência que vende alimentos preparados frescos, bem como uma seleção limitada de mercearia semelhante às franquias da 7-Eleven, ou um lugar para simplesmente comer algo rápido para as pessoas que estão com pressa, assim com o faz a rede britânica Pret a Manger.

Como funciona a Amazon Go?
A experiência é vista pelo mercado como algo a ser seguido no futuro. Os clientes entram na Amazon Go, são reconhecidos por meio de seus smartphones, escolhem os produtos e saem sem passar por caixas. Os clientes se cadastram em um aplicativo para entrar na loja e, depois, as câmeras e os sensores do espaço conseguem rastrear quais produtos vão para o carrinho de compras virtual ou não. Os consumidores saem normalmente com seus produtos e depois o valor final é debitado da conta cadastrada.

 

Escrito Por: Leonardo Pinto
Fonte: Novarejo
Amazon Go terá 3 mil lojas físicas até 2021, diz Bloomberg

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *