Com expectativa de faturamento em R$ 2,4 bilhões, segundo a Ebit, a edição brasileira da Black Friday em 2018 acontece na penúltima sexta-feira de novembro, dia 23. O valor esperado a ser movimentado corresponde a aumento de 15% com relação ao ano passado, o que significa que os brasileiros estão confiantes com relação aos descontos concedidos neste período.

Além da sexta-feira, que é a data original, muitas varejistas aproveitam o endosso das compras para também oferecer descontos na segunda-feira posterior, conhecida como “Cyber Monday”. Assim, problemas com grandes filas ou queda de servidores em sites podem ser evitados.

Para melhor aproveitar as promoções, é importante selecionar previamente os produtos de interesse e pesquisar os valores atuais dos mesmos, evitando cair nos falsos descontos – apelidados de “black fraudes”.

Sites especializados de monitoramento de preços, como o Busca Descontos, Buscapé ou Zoom podem ajudar nessa pesquisa. O site Black Friday De Verdade também costuma fazer uma lista de empresas que prometem “praticar descontos reais”. Desde 2014, a página busca verificar descontos.

Além dos preços, é extremamente importante acompanhar a reputação das lojas selecionadas. Uma ferramenta muito usada nesse sentido é o Reclame Aqui, que serve como plataforma para medir a satisfação de clientes e a capacidade de cada varejista de resolver os problemas de cada pessoa lesada.

Após verificar os descontos e as lojas, atenção a itens que podem acabar muito rapidamente pela alta procura: como algumas varejistas começam a dar descontos pontuais mesmo antes da data estipulada para a Black Friday, nem sempre é boa ideia esperar para comprar peças de roupas e tênis, por exemplo, já que os tamanhos e cores podem esgotar em poucos minutos de promoção.

Confira uma lista de itens que você realmente não deve comprar nas próximas duas semanas.

1. Eletrodomésticos
Indispensáveis e caros, eletrodomésticos devem ser pesquisados exaustivamente antes de comprados. E a Black Friday costuma oferecer bons descontos nesses itens. De acordo com uma pesquisa da MindMiners em parceria com a People Marketing, 40,9% dos brasileiros já estão atentos a esta categoria para aproveitar as promoções.

2. Laptops
Assim como os eletrodomésticos, computadores estão entre os itens mais vendidos das últimas edições da Black Friday. Eletrônicos estão entre os interesses de 54,5% dos consumidores brasileiros na Black Friday 2018; Informática está na mira de 41,9%.

3. Smartphones
Como a Black Friday costuma ocorrer após os lançamentos dos smartphones mais recentes das grandes fabricantes, os maiores descontos são encontrados historicamente em aparelhos lançados em anos anteriores – provavelmente, os iPhones de R$ 10 mil não estarão mais baratos em novembro.

Quem quiser trocar de celular e não se importar em comprar um modelo de 2017 ou anterior provavelmente encontrará ofertas mais interessantes na data.

4. Jogos eletrônicos
Muito buscados como presente de Natal, consoles e games costumam ter descontos interessantes na Black Friday. Normalmente, os games vêm mais descontados que os consoles.

5. Brinquedos tradicionais
A mesma lógica vale para brinquedos e jogos nos formatos “tradicionais”. Na época das festas, os preços podem subir, então o ideal é pensar desde já a comprar os regalos para a família.

6. Passagens e pacotes de viagens
Sites renomados de passagens aéreas e pacotes de viagens fazem boas promoções na data – e costumam aumentar consideravelmente os preços logo depois da Black Friday. Se tiver intenção de viajar e disponibilidade de datas, pode valer a pena segurar essa compra.

7. Televisores
Os descontos em aparelhos de TV tendem a ser expressivos na Black Friday.

 

Escrito Por: Adriana
Fonte: Newtrade
7 coisas que você não deve comprar antes da Black Friday

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *